1.8.16

Resenha + Trailer: A Menina Que Tinha Dons - M.R. Carey


A Menina Que Tinha Dons  

A menina que tinha dons
Autor: M. R. Carey
Editora: Rocco
Páginas: 384
Lançamento: 2014





Ele detestava gente frívola e imprudente que dança pela superfície do mundo sem olhar para baixo.

OLHA QUEM VOLTOU toda linda e maravilhosa e destruída pela faculdade. Como vocês estão? Que saudade de vocês!
Tá aí um livro que eu já queria comentar com vocês a muito tempo. Eu lembro que tava felizinha descendo o feed do facebook, quando me aparece o book trailler desse livro, e eu fiquei: PRECISO. Aí estava eu, andando na Saraiva, procurando qual seria o próximo motivo da minha pobreza e bati o olho nesse. Até então tudo que eu sabia sobre ele tinha visto no tal vídeo, aí eu olhei a capa, a frase de cima, e imediatamente: QUERO. Quando fui ler a sinopse já estava em casa, e soube que acertei em cheio na escolha. A leitura foi envolvente, impactante, eu não sei se eu acabei o livro ou se ele  que acabou comigo.
"Poliana, mas se você quer falar a tanto tempo, por que só agora?" Simples queridos, porque VAI LANÇAR O FILME <3. E sim, eu só descobri que ia virar filme agora mals. E eu lembro de ler o livro pensando que aquilo daria um roteiro muito mais do que digno. E não é por menos.
O autor inglês, M. R. Carey, já escreveu tanto para a Marvel quanto para a DC. Já assinou histórias de X-Men, Quarteto Fantástico e Batman. Ainda escreveu as séries Lúcifer e HellBlazer. Um cara com um currículo desse, e que vive aparecendo na lista de mais vendidos do New York Times só podia escrever uma história sem igual.
Resumidamente, a história se passa numa sociedade que passa por um apocalipse zumbi. Uma versão mutante do vírus Ophiocordyceps unilateralis encontrou na espécie humana seu hospedeiro perfeito, e, como em toda história de zumbi, se apossou do nosso sistema nervoso. A partir do momento que somos contaminados, nosso único desejo como "Famintos" é consumir carne humana saudável. Logo tudo se transforma num caos e nos resta viver, ou sobreviver, em áreas protegidas ou no meio do caos, por própria conta e risco.
Porém, em meio a esse caos, existem um grupo com aparente "imunidade" ao vírus. Crianças contaminadas que ao invés de apenas devorar carne, ainda conseguem pensar, aprender, raciocinar e viver em sociedade. Acredita-se que nelas está a cura. Em bases militares, cientistas as estudam para entender como aquelas criaturas poderiam salvar a humanidade.
Em uma dessas bases vive nossos personagens e a nossa protagonista, Melanie, uma jovem menina apaixonada pela escola, que vê sua professora quase como uma mãe, que não entende muito sobre, mas aceita o que está acontecendo e ao que é submetida, porque a base é tudo o que ela conhece e entende por "normal". 
Sim, esse é daqueles livros que você vai criar 10 teorias, e errar 11. Nos dando uma visão completamente nova sobre aqueles que acostumaram nos apresentar como monstros, Carey te convence a torcer pelos zumbis. Por que, quem seria de fato o vilão? Melanie, que deseja aprender e conhecer o mundo exterior, mas que é um zumbi e pode a qualquer momento se lançar em cima do humano mais próximo? A fria cientista Caldwell, que abre crianças ao meio para estudar seus cérebros enquanto procura a cura para a espécia humana? Qual delas é a vítima? E como pode terminar esse roteiro,  de acordo com The Guardian, "Original, assustador e poderoso"? Em setembro nos cinemas americanos. infelizmente, sem data pro Brasil, choremos
Confira abaixo o trailler (em inglês):



O elenco conta com Gleen Close (Guardiões da Galáxia), Gemma Arteton (João e Maria: Caçadores de Bruxas) e Sennia Nanua.

Quem aí já tá ansiosíssimo? EEU
Leiam o livro, por favor!
Arrebatada, desesperada e empolgada, Poliana

Nenhum comentário:

Postar um comentário