16.8.16

Resenha: Pequena Abelha - Chris Cleave

Pequena Abelha 

Pequena Abelha
Autor: Chris Cleave
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Lançamento: 2010
Link no skoob

"Vai extasiar você"
- The Washington Post



Uma parcela da maldade do mundo está dentro de nós.

Hoje a resenha vai ter que ser um pouquinho diferente, me desculpem, me entendam.
Eu terminei esse livro final de janeiro. E sim, estou até agora criando forças para escrever a resenha, complicado, eu sei.
O pai de uma amiga leu o livro e disse para gente: Vocês precisam ler esse livro. Fomos obedientes, mas confesso, não estávamos dando essa bola toda não.
Ela leu primeiro e logo depois disso faltou pouco me forçar a ler. Eu disse: calma mulher, eu vou ler, relaxa.
Aí lembra aqueles sábados, cheios de tédio, nada para fazer? Esses mesmo. Peguei o danado do livro. The New York Times descreve perfeitamente: Arrebatador.

Um história densa? Sim. Complexa? Muito. Real? Infelizmente, poderia ser sim. 
Conta a história de duas mulheres que se encontram em uma terrível condição, uma delas precisa tomar uma decisão terrível. Dois anos depois elas se encontram de novo, e a situação talvez fique mais terrível ainda, talvez.
Uma delas é uma jovem nigeriana imigrante, a outra uma mãe inglesa. Como as duas podem estar ligadas? Parece impossível, não? Mas infelizmente, não é. A trama é contada naquele estilo de mudança de tempo. Estamos acompanhando o que está acontecendo na Inglaterra, e logo depois estamos revivendo o passado de poucos anos antes em meio a uma Nigéria em guerra, como se a história fosse contada através da junção das memórias de nossas protagonistas. Certos detalhes são contados com tanta minucia que chega a parecer que estamos de fato presenciando a cena através dos olhos das próprias mulheres.
Ano passado o mundo foi chocado com imagem de diversos imigrantes ilegais fugindo do continente africano em busca de uma vida melhor na Europa. Porém, nem sempre é essa a realidade que eles encontram. Mesmo que Pequena Abelha, trate de um tempo um pouco antes, o livro se torna muito atual. A riqueza em detalhes descritos pelo autor é fascinante, e até agoniante em certos pontos, e mesmo que seja um livro de ficção, choca o fato de que muito daquilo acontece com diversas pessoas todos os anos, e que várias meninas são expostas às mesmas condições que uma de nossas personagens.

A vontade que eu tenho é de sair contando toda a história, mas não posso. O próprio livro pede: por favor, não lhes diga o que acontece. O encanto está sobretudo na maneira como esta narrativa se desenrola. E preciso concordar. Então tudo o que posso fazer é pedir que você confie na minha palavra e permita-se conhecer, se encantar e se extasiar com a brilhante história de Chris Cleave. Eu garanto que você não vai se arrepender.

Eu olhava para o futuro que meu filho teria de viver e percebia que reclamar desse futuro talvez não fosse a estratégia mais construtiva.



Com carinho, Poliana.

Um comentário:

  1. E pensar que não pude me entregar às emoções do final porque estava em um passeio e tive que parar de ler faltando DUAS páginas, quase chorei de raiva mesmo... Fora isso, a resenha disse tudo ~que podia ser dito~ kkkk. E obrigada pai por nos fazer ler esse livro, realmente eu não dava muito por ele não

    ResponderExcluir